Participe / Participate

Participe enviando contribuições (filmes, textos, links, dicas, etc ...) para antrocine@gmail.com

Send contributions to antrocine@gmail.com

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Dossiê "Cinema, Gênero e Sexualidade"



A revista Bagoas - estudos gays: gênero e sexualidades(UFRN) acaba de publicar o dossiê "Cinema, Gênero e Sexualidade", organizado por Zulmira Newlands Borges e Laure Garrabé:

Os autores aqui reunidos têm desenvolvido em suas universidades pesquisas sobre os temas de direitos sexuais, gênero, sexualidade, saúde, corpo, autonomia reprodutiva, direitos humanos, contribuindo direta ou indiretamente para o debate no campo do ensino da sexualidade e do gênero nas escolas. Amparados por referenciais teóricos da antropologia, da educação, dos estudos feministas e em especial de Michel Foucault, os artigos apresentam, em linguagem acessível e voltada para um público escolar, interpretações que questionam a visão essencialista da sexualidade (centrada na visão do corpo como um reduto dos instintos) para discutir a sexualidade e o gênero como construções contextuais e históricas.

A maioria dos artigos propõe a análise antropológica e pedagógica de filmes que tratam de gênero e da sexualidade em uma perspectiva comum do respeito à diversidade sexual e de gênero e dos direitos sexuais. Parte-se do princípio de que o cinema também é um discurso sobre gênero e sexualidade e que retrata a expressão de um autor/diretor, mas também reflete muito dos valores/racionalidades/moralidades vigentes em um dado momento histórico e em uma dada sociedade.

A proposta de realização do dossiê está relacionada à potencialidade do cinema como instrumento pedagógico, no sentido de que é também uma pedagogia culturalmente situada sobre os marcadores de gênero e sexualidade. Os artigos aqui selecionados se propõem a oferecer uma visão crítica acerca dos filmes, situando os eventos e as moralidades em termos históricos e discursivos, evitando, assim, reforçar marginalidades e estigmatizações.

Os ensaios refletem em grande medida uma análise fílmica e uma interpretação qualificada por trabalhos e experiências prévias de pesquisa. No entanto, não se trata de proceder a uma interrogação sobre a imagem, embora esta seja permanentemente o alvo da análise. Trata-se de analisar experiências do ver,tomando em conta a difusão debandada pelo maior acesso às tecnologias visuais, a partir da apreensão dos eixos corpo, gênero e sexualidade. 

Link para a revista: 

http://www.periodicos.ufrn.br/bagoas/issue/view/359/showToc



Um comentário:

  1. Parabéns, Paloma! Ótima revista e ótimo artigo.

    ResponderExcluir